Júlia Pinheiro desabafa “Sem diagnóstico, sem respostas, equacionei o pior”

Os últimos tempos de Júlia Pinheiro foram desafiantes. A apresentadora de 60 anos teve vários problemas de saúde e, através do seu blog, fez uma reflexão. “Habituei-me a um conceito que tem tudo de provisório e nada de garantido. Mas a verdade é que me habituei à (aparente) saúde de ferro. Habituei-me a não parar. A ignorar os pequenos sinais do corpo que nos vão dando pistas. Até que um dos sinais, farto de ser ignorado, gritou mais alto. E fez-se ouvir. A tal ponto que deixei de fazer este programa que é atualmente o meu principal dever profissional e um enorme prazer.

Estive internada por duas vezes. A primeira vez, para uma cirurgia à vesícula. Após a vesícula extraída, pensei que tudo correria bem e que o incómodo desapareceria. Mas a dor voltou. E era uma dor terrível. Era excruciante. Fiquei de facto muito preocupada. Sem diagnóstico, sem respostas, equacionei o pior. Mudei de hospital – e nestas questões, não há que ter receio de pedir uma segunda opinião. Uma segunda opinião não invalida o que de bom acontece com a primeira equipa. Conclusão: sofro de dor neuropática. É um problema crónico com o qual tenho de aprender a viver. Julgava tratar-se de algo muscular. Não é. É uma dor crónica que pode aparecer na ausência de analgésicos. E aqui estou eu, com analgésicos.

O que importa é que estou funcional, estou aqui. Com um diagnóstico. Retomei o programa Júlia, que ficou tão bem entregue à excelente e dedicada profissional Andreia. Retomo as rotinas, a equipa, volto a casa todos os dias para jantar. Rotinas, adoro”, escreveu.

You may also like...