Vítima de tragédia em Pedrógão Grande arrisca invalidez!

Vítima de tragédia em Pedrógão Grande arrisca invalidez!

Bombeiro tem somente 85% de incapacidade, e arrisca a ter menos de 300€ para sobreviver! Rui Rosinha, faz parte dos bombeiros voluntários de Castanheira de Pera e nos último 6 meses esteve internado devido a queimaduras de que foi alvo no grande incêndio de Pedrógão Grande de junho de 2017. Agora pode ficar a receber uma mísera pensão de 267€ por ter arriscado a sua vida, isto se não voltar a ficar em condições para trabalhar.

São valores que estão a revoltar os bombeiros e população em geral, bem como deputados que já questionaram o ministro do Trabalho e da Solidariedade Social. Rui Rosinha, com 40 anos, esteve internado 6 meses, mas contínua com tratamento intensivos que o obrigam a ter de se deslocar a Coimbra. Atualmente ainda recebe praticamente todo o seu vencimento como funcionário da Câmara de Castanheira de Pera, mas a verdade é que em breve poderá ter de optar por continuar a trabalhar ou pela pensão.

 

A lei diz-me que dada a minha condição, e passado um ano e meio, tenho de optar. E se quiser reformar-me por invalidez, a minha vida vai ficar ainda mais difícil”, diz Rui Rosinha sem querer alongar-se.

O caso deste bombeiro está a ser acompanhado pelo gabinete jurídico da Liga dos Bombeiros Portugueses. E Jaime Marta Soares irá lutar pelos direitos de Rui. “Vamos exigir que ele seja tratado com toda a dignidade que merece”. Se essa pensão for a estabelecida, o Fundo de Pensões dos Bombeiros irá colocar o restante dinheiro até ser atingido o valor so salário mínimo nacional!

 

Deixe um comentário